Sobrevivente Poliomielite - Medo de usar Bengala?

 

 

Da série, Polio Survivors Ask, de Nancy Baldwin Carter, BA, M.Ed.Psych, de Omaha, Nebraska, ela é uma sobrevivente da poliomielite, uma escritora e ex-diretora da Nebraska Polio Survivors Association.

 

Pergunta: Um amigo que teve poliomielite me disse que desde que ele passou a usar uma bengala, as pessoas lhe dão mais espaço, então ele agora, tem menos medo de ser esbarrado por outras pessoas. Ele desejava ter usado alguns anos antes. Eu também! Como podemos ajudar as pessoas a superarem o medo de parecerem deficientes e fracos?

 

Resposta: O medo pode ser tão autodestrutivo, não é? Os organizadores dos grupos de apoio encontraram esse mesmo tipo de problema: as pessoas não queriam usar dispositivos que as tornassem fracas aos olhos dos outros.

 

Recentemente, uma mulher que usava bengala, desde o início disse: “Eu não achava que tivesse uma deficiência. Ninguém me disse que eu não poderia fazer as coisas. A questão era se eu poderia ou não executar, não se eu usava ou não uma bengala.

 

Então, a deficiência não precisa ser um estigma. Nem todo mundo está preocupado com o que os outros pensam de usar cadeira de rodas ou andar mancando. Talvez o medo de parecer deficiente tenha mais a ver com o modo como acreditamos que os outros nos percebem do que com a maneira como somos vistos. 

 

Será que “eles” acham que sou estranho? estúpido? desamparado? inútil? Esses são nossos medos. Eles realmente refletem a concepção da sociedade?

 

Desde o advento de leis de acessibilidade, muitos de nós percebemos um novo relacionamento com o resto do mundo. Agora temos mais possibilidades !!! E onde as obstruções físicas ainda existem hoje, amanhã elas podem não existir. Claramente, os outros se importam mais do que antes em fazer com que nosso entorno nos sirva melhor. Alguns deles parecem ter uma melhor compreensão sobre a deficiência. Podemos dizer o mesmo sobre as barreiras em nossas próprias mentes?

 

Como poderíamos ajudar as pessoas a "superar" o medo de parecer deficientes?  Isso é o que nosso amigo que fez a pergunta acima finalmente fez, não é? 

IMGP7050-2.jpg

Ele aceitou sua deficiência - encontrou uma maneira de se permitir estar bem com isso. Ele descobriu o bem em usar uma bengala, criou uma razão positiva para isso. Isso é aceitação com dignidade. Este é um trabalho interno. Ninguém mais pode fazer isso por nós.

 

É uma escolha.  A verdade é que todos nós fazemos o que queremos fazer. Eu? Eu acho que Beisser está certo. Eu escolho aceitação.

 

Fonte: matéria retirada da PHI - PostPolio.org