O que causa a Síndrome Pós Pólio?​

 

A causa da Síndrome Pós Pólio é desconhecida, mas os especialistas ofereceram várias teorias para explicar o fenômeno - variando da fadiga de células nervosas sobrecarregadas a possíveis danos cerebrais de uma infecção viral, a uma combinação de mecanismos. 

 

A nova fraqueza parece estar relacionada à degeneração de terminais nervosos individuais nas unidades motoras. Uma unidade motora é formada por uma célula nervosa (ou neurônio motor) na medula espinhal ou tronco cerebral e as fibras musculares que ela ativa. 

 

O vírus da poliomielite ataca neurônios específicos no tronco cerebral e na medula espinhal. Em um esforço para compensar a perda desses neurônios motores, as células sobreviventes geram novos terminais nervosos e se conectam com outras fibras musculares. Essas novas conexões podem resultar na recuperação do movimento e ganho gradual de força nos membros afetados.

 

Anos de uso intenso dessas unidades motoras recuperadas, mas excessivamente estendidas, aumentam o estresse dos neurônios motores, que com o tempo perdem a capacidade de manter as demandas crescentes de trabalho. Isso resulta na lenta deterioração dos neurônios, o que leva à perda de força muscular. A restauração da função nervosa pode ocorrer em algumas fibras uma segunda vez, mas eventualmente ocorre mau funcionamento dos terminais nervosos e fraqueza permanente. Essa hipótese explica porque a Síndrome Pós Pólio ocorre após um atraso e tem um curso lento e progressivo.

 

Ao longo de anos de estudos, cientistas do Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e Derrame (NINDS) e de outras instituições demonstraram que a fraqueza da SPP progride muito lentamente. É marcado por períodos de relativa estabilidade, intercalados com períodos de declínio. Por isso é necessário uma programação adequada de exercícios...

 

Fonte: Pos Polio International

 

polio-4.jpg