Constipação em sobreviventes da poliomielite!

 

 

 

 

Segundo o especialista em Medicina Física e Reabilitação, Dr William M. De Mayo a conexão entre constipação e síndrome pós-pólio é importante e vale a pena tomar determinados cuidados!

 

Pontos a serem considerados:

 

Dieta rica em fibras pode ser fundamental.

 

Mantenha a ingestão de líquidos, porque na ausência de água, a fibra se transforma em “concreto”. Devido a questões de mobilidade e acesso ao banheiro, algumas pessoas precisam limitar a ingestão de líquidos. Se sim, evite fibras.
 

Mantenha as fezes moles. Se estiver difícil, apesar dos fluidos e fibras, fale com o seu médico para indicar um medicamento adequado para essa ocasião.

 

Defina uma programação regular para estar no banheiro a cada 24 ou 48 horas, para que os intestinos possam desenvolver um ritmo.  Para alguns, é melhor, depois de uma grande refeição e um pouco de líquido quente, e, para muitos, isso significa à noite.

 

 

Não desista de uma rotina devido a um dia ruim ou a alguns dias ruins. A resposta intestinal a mudanças na rotina pode levar algumas semanas. A paciência é fundamental antes de fazer mudanças conscientes.
 

Evite dizer "isto" ou "aquilo" não funciona para mim, pois uma combinação de abordagens geralmente funciona quando cada abordagem individual não funciona. Isso significa que seu medico pode indicar medicamentos e suplementos que auxiliem no seu caso!

 ​​​

 

325663_1100.jpg

 

Evite deixar o intervalo de evacuação superior a 3 dias. Neste ponto, as fezes ficam secas e duras e geram gás internamente, levando à distensão do cólon. Um cólon distendido perde ainda mais sua capacidade contrátil.
 

Fale com seu médico da possibilidade de usar um supositório como Dulcolax® para facilitar a evacuação nos casos mais graves.

 

Evite mudanças repentinas ou rápidas nos medicamentos - mais uma vez a paciência é fundamental.