SPP - Músculos Pélvicos e Problemas da Bexiga!​

 

Nos últimos anos, tive problemas com a bexiga. Tenho retenção de urina. Em uma tomografia computadorizada recente, mostrou atrofia da musculatura pélvica. Existe uma conexão com problemas de bexiga e poliomielite? Os músculos pélvicos foram afetados pelo vírus?

 

Ótima pergunta! Infelizmente, não há uma resposta ótima e curta. No entanto, como a maioria das boas perguntas, há uma oportunidade de usar isso como uma oportunidade de aprendizado.

 

Primeiro algumas noções básicas ... 

1) A Síndrome Pós Pólio (SPP) em si não causa retenção de urina na bexiga. Dito isso, é preciso ter certeza de que a retenção é de fato o problema. Isso geralmente é feito com um ultrassom da bexiga após ser esvaziada para ver se ainda resta muita urina.

 

É importante notar que a incontinência urinária frequente (incapacidade de controlar a urina / molhar-se) pode ser devido à retenção de urina com vazamento devido à falta de resistência ao fluxo, o que é muito mais comum na SPP devido ao enfraquecimento do assoalho pélvico.

 

2) Os problemas neurológicos podem ter um grande impacto na função urológica. A bexiga pode ficar excessivamente ativa ou pode-se perder a percepção do enchimento da bexiga. O controle coordenado do armazenamento e do esvaziamento da bexiga requer a interação dos músculos da parede da bexiga, nervos da bexiga à medula espinhal, reflexos coordenados dentro da medula espinhal e controle do cérebro.

 

Derrame, lesão cerebral, lesão da medula espinhal, esclerose múltipla e muitas outras condições neurológicas podem resultar em incontinência devido ao que é denominado "bexiga do neurônio motor superior". Como a poliomielite é um problema do neurônio motor inferior, não discutiremos isso mais a não ser para dizer que os pacientes com pólio não são imunes a nenhuma das condições acima.  Além disso, o processo normal de envelhecimento pode criar uma “bexiga hiper-reflexiva” que pode simular um problema do neurônio motor superior.

 

3) O mais pertinente para os sobreviventes da pólio é que os músculos do assoalho pélvico desempenham um papel importante no funcionamento da bexiga. Qualquer pessoa idosa está sujeita a esse problema, mas aqueles que têm mobilidade restrita ou uma razão anterior para ter fraqueza do assoalho pélvico certamente estão em maior risco.

 

A “incontinência de esforço” ocorre quando uma tosse, uma risada ou um espirro aumenta a pressão no abdômen e, portanto, aumenta a pressão na bexiga. Ocorre quando a resistência ao fluxo é baixa e isso é especialmente o caso em mulheres.

 

A poliomielite pode certamente causar fraqueza nos músculos do assoalho pélvico e essa fraqueza pode progredir nos casos de SPP.

 

Além disso, uma história de nascimento de uma criança, estilo de vida sedentário, recente ganho de peso podem contribuir para a fraqueza relativa do assoalho pélvico. Os músculos do assoalho pélvico fracos estão diretamente associados a uma menor resistência ao fluxo. Eles desempenham um papel importante no suporte da bexiga, contraindo diretamente a área ao redor da uretra, bem como, criando um efeito de “torção” com tosse, espirro ou outra atividade que aumenta ainda mais a resistência.

 

Alguns fisioterapeutas trabalham com a  Fisioterapia do assoalho pélvico. Como qualquer músculo, o assoalho pélvico pode estar excessivamente cansado e, portanto, o tratamento de um paciente com SPP deve ser individualizado e não focado apenas no fortalecimento intensivo do assoalho pélvico.

 

Assista ao vídeo do Instituto, acima, que aborda esse assunto..

 

Fonte:

https://www.poliosa.org.au/news/2019/pelvic-muscles-amp-bladder-problems