SPP - Poucos Médicos Conhecem essa condição!

 

Um grande problema enfrentado por milhões de sobreviventes da poliomielite é que poucos médicos, nos países industrializados e em desenvolvimento, reconhecem essa doença secundária lenta e pouco compreendida, chamada síndrome pós-poliomielite (SPP)

 

Os principais sintomas da SPP são a nova fraqueza muscular progressiva que piora gradualmente, juntamente com fadiga severa e dor nos músculos e articulações. É frequentemente acompanhada por diminuição da resistência muscular durante as atividades.

 

Não existe cura para o SPP. Os médicos aconselham os pacientes a reduzir as atividades físicas e a descansar durante o dia, inclusive durante o horário de trabalho. Muitos médicos também aconselham pacientes mais afetados a usar cadeiras de rodas em período parcial ou integral, mesmo que possam andar sem elas.

 

Cerca de 40% dos sobreviventes da poliomielite podem ter SPP, de acordo com algumas estimativas. A March of Dimes, uma agência sem fins lucrativos fundada pelo presidente dos EUA Franklin D. Roosevelt, sobrevivente da poliomielite, agora está alertando os sistemas médicos de todo o mundo para a SPP.

 

A Organização Mundial da Saúde estima que 10 a 20 milhões de sobreviventes da poliomielite estão vivos em todo o mundo, e algumas estimativas sugerem que 4 a 8 milhões deles podem desenvolver SPP.

 

"Nos países em desenvolvimento, onde os surtos de poliomielite ainda ocorrem ou terminaram muito mais recentemente, os sistemas médicos enfrentarão a SPP por décadas no futuro e terão pouco conhecimento ou compreensão", diz Christopher P. Howson, Ph.D., diretor de Programas Globais para a March of Dimes. 

 

"Mesmo em países avançados, e isso inclui os Estados Unidos, muitos médicos não são treinados para reconhecer o SPP ou relutam em tratá-lo como uma nova condição".
 

polio.jpg

 

Grupos de base de sobreviventes da poliomielite na América do Norte, Europa Ocidental, Japão, Austrália e Nova Zelândia têm sido os principais defensores do aumento da atenção médica e do governo à síndrome pós-poliomielite.

"A situação é menos clara nos países em desenvolvimento, onde a síndrome é ainda menos reconhecida", diz o Dr. Howson. "Talvez o SPP seja subnotificado porque os prestadores de serviços de saúde não o reconhecem. Ou talvez as pessoas com maior risco de SPP nos países em desenvolvimento tendem a morrer antes de atingirem a idade de início da doença. 

 

Além disso, o SPP parece ser mais comum e grave em pessoas que se reabilitaram com sucesso do ataque inicial à poliomielite. Talvez uma porcentagem menor de pessoas nos países em desenvolvimento tenha tido a oportunidade de se reabilitar e, portanto, não existem mais riscos!!!

 

Mais de 40 anos atrás, a March of Dimes completou sua missão original de combater a pólio epidêmica, apoiando o desenvolvimento e o amplo uso de duas vacinas eficazes, uma pelo Dr. Jonas Salk e outra pelo Dr. Albert Sabin. Hoje, a March of Dimes trabalha para melhorar a saúde de mães e bebês, mas não esqueceu seu legado histórico.

 

Fonte:

March of Dimes