Exercício Aeróbico para indivíduos com a Síndrome Pós Pólio​

 

 

 

A síndrome pós-pólio (SPP) é uma condição que afeta muitos sobreviventes da pólio. Décadas depois de contrair o vírus da poliomielite, os indivíduos podem começar a sentir novas fraquezas, dores e fadiga. O gerenciamento desses novos sintomas é diferente para cada pessoa. Recomenda-se que os sobreviventes da pólio procurem tratamento de especialistas familiarizados com a síndrome pós-pólio.

 

O exercício é uma parte importante do tratamento. Pesquisadores descobriram que indivíduos com Síndrome Pós-Pólio que praticam atividade física regular relataram um nível mais alto de função e menos sintomas do que aqueles que estavam não fisicamente ativos.

 

Diretrizes Gerais para o Exercício de Fortalecimento

 

  • O exercício não deve causar dor ou dor muscular
  • O exercício não deve levar à fadiga que impeça a participação
       em outras atividades naquele dia ou nos dias seguintes
  • Os exercícios de fortalecimento só devem ser tentados com
       músculos que se movimentam completamente   
  • Exercícios de intensidade mínima a moderada são
       geralmente recomendados
  • A progressão do exercício é lenta, especialmente nos
       músculos que não foram exercitados por um período
       de tempo ou que tenham fraqueza crônica.

 

Exercício aeróbico

 

O exercício aeróbico é recomendado para a maioria dos indivíduos com síndrome pós-pólio, exceto quando há queixas de fadiga esmagadora. É importante encontrar o melhor tipo de atividade para alcançar com segurança um benefício cardiovascular.

 

O exercício aeróbico não deve causar fadiga muscular, fadiga generalizada ou dor.

 

Duração:

A atividade aeróbica é recomendada 3-4 vezes por semana até um total de de 30 minutos em cada sessão.

 

 

eaerobico.jpg

 

Como pode ser feito o exercício

 

Uma caminhada normal ou em uma esteira pode ser recomendada para pessoas que não apresentam sintomas de fraqueza ou dor nas pernas.

 

Um ergômetro da parte superior do corpo (UBE) ou bicicleta de braço podem ser recomendados quando os braços são fortes, mas há sintomas de fraqueza nas pernas.

 

Uma bicicleta estacionária pode ser recomendada quando a fraqueza do braço é o problema principal, ou problemas de equilíbrio, limitam a marcha segura.

 

Intensidade: leve a moderada.

 

Fonte:

ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE FISIOTERAPIA ÁREA DE:  NEUROLOGIA

http://www.neuropt.org/docs/degenerative-diseases-sig/ddsig-fact-sheet-exercise-and-post-polio-syndrome.pdf?sfvrsn=6926940a_4